2.9.16 Condições adicionais para as barras das instalações sanitárias acessíveis

2.9.16 Para além do especificado na secção 4.11, as barras de apoio instaladas junto dos aparelhos sanitários acessíveis devem satisfazer as seguintes condições:

  • São exigidas barras de apoio junto da sanita (cf. ponto 9.4.5), banheira (cf. ponto 2.9.7.6), base de duche (cf. pontos 2.9.9.5 e 2.9.10.6) e urinol (cf. ponto 2.9.12.4).

 

1. Podem ter formas, dimensões, modos de fixação e localizações diferentes das definidas, se possuírem as superfícies de preensão nas localizações definidas ou ser for comprovado que melhor se adequam às necessidades dos utentes;

  • A melhor adequação às necessidades dos utentes é um princípio geral aplicável a todas as IS. O que se pretende neste ponto é permitir a instalação de dispositivos melhores, não é admitir a instalação de dispositivos mais pobres.
  • A necessidade de alterar o dispositivo de barras para melhor adequação às necessidades pode surgir, em especial, quando os utentes são um grupo específico e bastante homogéneo, que coloca necessidades adicionais ou simplesmente diferentes, e para as quais é necessário e possível encontrar soluções mais adequadas. No desenvolvimento dessas soluções devem ser envolvidos técnicos com conhecimentos específicos.

 

2. Devem ter capacidade de suportar uma carga não inferior a 1,5 kN, aplicada em qualquer sentido.

  • Uma carga de 1,5 kN é aproximadamente igual a um peso de 150kg.
  • O cumprimento deste requisito é fundamental para a segurança da IS. Não devem ser poupados esforços no seu cumprimento e verificação. Importa notar que durante a transferência o utilizador está a fazer a sua integridade física depender do rigor da obra e da responsabilidade dos técnicos envolvidos no projecto e construção. Um acidente devido ao incumprimento deste requisito pode ter consequências graves, com relevância em matéria de responsabilidade disciplinar, civil e criminal.
  • O cumprimento desta capacidade de carga depende da resistência de três componentes: 1) a barra propriamente dita (i.e., a barra não deve deformar sob acção da carga); 2) a fixação da barra (i.e., a barra não deve desprender-se sob acção da carga); 3) a estrutura à qual a barra está fixada (i.e., a parede não pode ceder e soltar as fixações).
  • Deve prever-se uma carga “aplicada em qualquer sentido” porque as barras terão de suportar esforços verticais e horizontais. O maior esforço será, sem dúvida, o esforço vertical, correspondente ao peso do utilizador. Mas importa notar que se devem prever, também, esforços horizontais gerados por três operações essenciais: 1) transferências (da cadeira de rodas para a sanita, banheira ou duche, e vice-versa); 2) a manutenção da postura em situação normal (vários utilizadores precisam de um ponto de apoio para manter o tronco vertical); 3) a recuperação da postura em situação de queda ou pré-queda.
  • A capacidade de suporte da carga deve existir no ponto de maior momento da força, i.e., no ponto da barra que está mais distante das fixações. Por duas razões: 1) rigor técnico (a capacidade de carga de uma estrutura é sempre verificada no ponto de maior momento da força); 2) segurança pessoal (é geralmente nesses pontos que o utilizador se apoia na barra).
  • De forma a salvaguardar a segurança dos utilizadores, deve ser posto especial cuidado e exigência na verificação (em obra, ou em vistoria) da capacidade de carga das barras de apoio. O técnico que inspecciona deve exercer uma carga mais próxima possível de 150Kg, nomeadamente nos pontos de maior momento da força, i.e., nos pontos mais afastados das fixações (numa barra fixa, a meio; numa barra rebatível, no extremo oposto ao da fixação).
  • A barra rebatível é geralmente a menos resistente aos esforços verticais e horizontais. A sua configuração (fixação num dos extremos) tende a fazer aumentar o momento da força. É recomendável por isso evitá-la, salvo nas situações em que a sua instalação é obrigatória (cf. pontos 9.4.4 e 2.9.6).
  • Fixação da barra: a experiência aponta para as buchas químicas como uma solução com muito potencial.
  • Resistência da parede: no caso de paredes de alvenaria pré-existentes, é conveniente verificar se é necessário fazer um amaciçamento. No caso de paredes de pladur, será necessário criar uma estrutura própria (em alvenaria ou aço) para receber as barras.

Leave A Comment?

You must be logged in to post a comment.